SAIBA TUDO SOBRE O NOVO CORONAVIRUS

Especialista esclarece tudo o que se sabe até agora

Dr.Renato Barra, médico do IMEB (Imagens Médicas de Brasília)

O mundo inteiro está LUTANDO contra a evolução do novo coronavírus (Covid-19) originado na China, onde surgiram relatos dos primeiros casos em meados de dezembro de 2019. Em todos os jornais e sites de notícia, esse tem sido o assunto mais falado. 

O vírus que afeta o ser humano causa sintomas semelhantes aos da gripe ou de um simples resfriado, mas não possui ainda um tratamento específico. Além disso, em alguns casos pode levar o paciente à morte. 

NÚMEROS DE CASOS NO MUNDO

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) registraram hoje (13 de março de 2020) os seguintes números:

CASOS EM TODO O MUNDO (até 13 de abril)
1.897.373 – Casos confirmados
444.492 – Curados
118.304 – Mortes

CASOS NO BRASIL
22.720 – Casos confirmados
1.270 – Mortes

EUA – 23.068 Mortes
Espanha – 17.614 Mortes
Itália – 20.465 Mortes
França – 14.967 Mortes
Reino Unido – 11.329 Mortes
Irã – 4.585 Mortes
China – 3.341

O coronavirus foi descoberto em 1960 e forma uma grande família viral. Corona significa “coroa” em italiano e foi nomeado dessa forma por conta das espículas que possui em sua superfície, que remetem ao objeto.

Inicialmente infectava animais, como: aves, morcegos, porcos e camelos. Porém, sofreram mutações e passaram a infectar humanos.

O vírus causa sintomas semelhantes aos de uma gripe comum até um quadro de síndrome respiratória aguda.

COMO O COVID-19 É TRANSMITIDO?

Isso é o que mais tem preocupado as pessoas e os governos nesse momento em relação ao coronavírus: sua rápida transmissão. O vírus se propaga de uma pessoa para outra por meio das vias respiratórias (secreções aéreas do paciente infectado) ou por contato com secreções contaminadas.

O vírus é transmitido, principalmente, por meio da tosse, do espirro e do próprio aperto de mão, a depender da capacidade do vírus de se multiplicar no organismo do infectado. 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

O período de incubação (tempo entre a exposição e a manifestação dos sintomas) do Covid-19 é de 2 a 14 dias, sendo que os sintomas são semelhantes ao de uma gripe ou resfriado. Conheça os principais a seguir:

  • Febre
  • Tosse
  • Congestão nasal
  • Falta de paladar
  • Dor de garganta
  • Cansaço e dor no corpo
  • Falta de ar

Acomete, principalmente, idosos com doenças crônicas, crianças e pessoas com baixa imunidade.

COMO O NOVO CORONAVIRUS LEVA À MORTE?

A grande maioria dos infectados pelo novo coronavírus consiga se recuperar, algumas pessoas acabam desenvolvendo quadros respiratórios mais graves que atingem os brônquios e os pulmões, provocando pneumonia. Quando essa pneumonia evolui, pode levar o paciente à morte.

Ainda não se sabe ao certo por que a doença evolui dessa forma em certos casos, mas alguns grupos de pessoas estão mais suscetíveis à morte caso contraiam o novo coronavírus. São eles: idosos, crianças e aqueles que já possuem uma doença prévia.

Cientistas estimam que a cada mil casos do novo coronavírus, cerca de 2% ou menos resulta em morte. Os fatores estão associados ao gênero, idade, condições de saúde e até mesmo ao sistema de saúde no qual as pessoas estão inseridas.

EXISTE TRATAMENTO?

No momento, ainda não existe um tratamento específico homologado para contornar a atuação do vírus. Embora alguns médicos mundo afora tem iniciado protocolos de testes com medicamentos já existentes.

Pesquisadores de países como EUA, Itália e Alemanha tentam desenvolver as pressas uma vacina contra o Covid-19.

Investe-se em suporte com medicamentos sintomáticos, no caso de febre e dor. E, em casos mais graves, é indicado o acompanhamento em unidade de terapia intensiva.

COMO SE PREVENIR DO NOVO CORONAVIRUS?

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a melhor forma de evitar a doença é por meio da prevenção, seguindo medidas, como:

  • Manter a higienização das mãos e fazer uso de álcool em gel de grau alcoólico 70%, sempre que estiver fora de casa.
  • Não compartilhar itens de uso pessoal (como copos, talheres, toalhas).
  • Cobrir a boca ao tossir ou espirrar e lavar as mãos em seguida.
  • Evitar ambientes aglomerados, com pouca circulação de ar.
  • Evitar contato respiratório com pessoas doentes.
  • Não visitar países que são áreas de risco, assim como evitar contato com pessoas que estiveram nesses locais recentemente.
  • Fortalecer o sistema imunológico com uma boa alimentação, balanceada e rica em nutrientes; e com um sono de 6 a 8 horas por noite. 
  • Manter sua carteira de vacinação contra a gripe em dia.

É MESMO NECESSÁRIO EVITAR SAIR DE CASA?

A iniciativa de se evitar aglomerações e a circulação em ambiente públicos, sempre que possível, tem como objetivo conter a disseminação da doença, prevendo a capacidade de atendimento médico em todo o país.

Por mais que o contágio do coronavírus por pessoas consideradas saudáveis não apresente risco, a transferência do vírus para bebês, idosos, diabéticos ou outros grupos de risco pode ser fatal.

Para reverter o quadro acelerado de contágio da pandemia, medidas rígidas têm sido adotadas e devem ser seguidas por todos.

No Brasil, os governos estaduais e municipais tem adotado por meio de decretos, fechar comércios, escolas e até estradas e aeroportos. O governo federal montou uma equipe interministerial para estudar formas de fazer a economia girar e ao mesmo tempo, minimizar o avanço de contágio do vírus.

Tome os devidos cuidados e mantenha sua saúde em dia, investindo em uma boa alimentação, exercícios físicos, consultas sempre que necessário e mantendo sua carteira de vacinação sempre em dia.